CBRD - NOSSA HISTÓRIA

                                                                               PorFábio D’Império

 

Para falarmos da fundação do CBRD (Conselho Brasileiro da Raça Dobermann), teríamos antes de falar do Departamento de Dobermann do KCP (Kenel Clube Paulista) fundado em 10 de Agosto de 1970, do CBD (Clube Brasileiro da Raça Dobermann), do CBD (Clube Bandeirante do Dobermann) e finalmente da SBD (Sociedade Brasileira do Dobermann). Deixando para falarmos futuramente das outras entidades, todas de âmbito municipal ou estadual, vamos começar pela primeira entidade de âmbito nacional da raça, a SBD (Sociedade Brasileira do Dobermann), com voz e voto no Conselho de Filiados do BKC.

 

Até fins de Julho de 1976, o DCB (Dobermann Clube do Brasil) era filiado ao BKC (Brasil Kennel Club), atualmente CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia) e congregava todos os clubes estaduais; porém, em  princípio de agosto  de 1976, o DCB desfiliou-se do BKC e os clubes da Raça Dobermann, com total apoio do Superintendente do BKC, Eugênio Henrique Pereira de Lucena, fundaram a SBD – Sociedade Brasileira do Dobermann, que se filiou ao BKC através de um convênio firmado em São Paulo, em 14 de Agosto de 1976, com a presença de todos os clubes especializados da Raça Dobermann existentes na época.

 

Assim, nessa data foi fundada a SBD que congregou, além de Departamentos ligados aos Kennels, os seguintes clubes especializados da raça : Clube Bandeirante do Dobermann em São Paulo, Dobermann Clube do Paraná, Dobermann Clube do Rio de Janeiro, Dobermann Clube de Goiás, Dobermann Clube de Santa Catarina, Dobermann Clube de Brasília, Dobermann Clube do Rio Grande do Sul, e ainda três outros que se formaram – Dobermann Clube da Bahia; Dobermann Clube do Maranhão e Clube Mineiro do Dobermann.

 

A SBD mantinha sua sede em São Paulo, na Av. Angélica,1814, conj.402, sendo esta a sua primeira diretoria eleita pelos Clubes Filiados: Presidente – Fábio D’Império (SP); 1º Vice- Presidente – Ayrton Scheaffer (SP); 2º Vice-Presidente – Adauto Mansour Pereira Gomes (SC); 3º Vice-Presidente – Miguel Vieira (RJ).

Eleito presidente do BKC, o 1º Vice-Presidente, Ayrton Scheaffer, renunciou ao mandato; em seu lugar foi eleito e empossado Jayme Martinelli.

 

A SBD , sendo a única entidade da Raça Dobermann com filiação internacional, por seu convênio com o BKC, congregava mais de oitenta por cento dos criadores, proprietários e árbitros especializados da raça. Além disso se propunha a desenvolver, aprimorar e divulgar a raça Dobermann em todo território nacional. Para atender a essas finalidades, proporcionava aos Clubes e Departamentos filiados, condições para realizarem exposições, provas de adestramento, trabalho e seleção, além de reuniões de caráter técnico-social. Posteriormente, autorizada pelo BKC, a SBD passou a ser a única entidade de raça, além da raça Pastor Alemão, a emitir Certidões de Origem (pedigrees).

 

Durante a sua existência, de Agosto de 1976 a Novembro de 1979, a SBD emitiu através de seus Clubes, Departamentos e Kennels, aproximadamente 8.000 (oito mil) pedigrees.

 

Desde sua fundação, a SBD vinha sendo pressionada pelo DCB, pelo Ministério da Agricultura e também pelo próprio BKC, para que fosse feita a pacificação na raça. Finalmente, em Novembro de 1979, depois de diversas marchas e contra marchas, a pacificação foi concluída em Brasília pelo presidente da SBD- Fábio D’Império e pelo presidente do DCB- Antonio Castelo Branco. Com o envio ao DCB de todo ativo físico e financeiro, a SBD encerrou oficialmente suas atividades em Abril de 1980, ficando a Raça, junto ao BKC, representada pelo DCB.

 

Tendo em vista a pacificação da Raça, nos dias 14-15-16-17 e 18 de novembro de 1979, foi realizado em Curitiba, sob a égide do Dobermann Club Paranaense, presidido por Luiz Renato Camargo Essenfelder, o I CONGRESSO BRASILEIRO DA RAÇA DOBERMANN, em substituição à II EXPOSIÇÃO NACIONAL DA SBD.

 

Juntamente com o Congresso, foram realizadas as 25ª - 26ª e 27ª Exposições Especializadas do Estado do Paraná, essas de caráter NACIONAL, com 101 inscrições incluindo  duas ninhadas. Atuaram nessas Exposições, nas quais foram tirados o Melhor Macho e a Melhor Fêmea, sem BIS,  os árbitros:

25ª Expo- Luiz Orlando (Uruguai) MM: Ch Arko Von Schloss de Ricardo L. Carrano.

25ª Expo- Jorge Hess (Argentina) MF: Ch Ariana Von Heiss de Athayde Reis Filho.

26ª Expo- Paul H. Combs (EUA) MM: Ch Do Cross'Viajante de Mischief Maker.

26ª Expo- Walter Hensel (Alemanha) MF:Ch Marienburg Sun Bonnet de Sérgio Capps.

27ª Expo- Walter Hensel (Alemanha)MM: Ch Arko Von Schloss de Ricardo L. Carrano. 

27ª Expo- Paul H. Combs (EUA) MF: Ch Marienburg Sun Bonnet de Sérgio Capps.

 

A pacificação todavia, depois de oficialmente concluida, durou menos de 90 (noventa) dias, tendo o DCB rompido mais uma vez com o BKC. Foi então fundado, em 15 de Julho de 1980, o CBRD- Clube Brasileiro da Raça Dobermann, cujo nome foi alterado em seguida para CBRD – Conselho Brasileiro da Raça Dobermann, com Fábio D’Império Presidente e Juan Carlos  Di Lucca Vice-Presidente, chapa essa que permaneceu até 1984.

 

Em 1985, juntamente com a 12ª Exposição Nacional foi realizado o 1º TOP TWENTY, julgado por Ray Carslile, Eugênio H.P. de Lucena e Fábio D'Império, sagrando-se vencedora a fêmea Ch SC Clyton's Bat Girl, de Marcos Hotz.

 

Algumas tentativas de pacificação com DCB foram ainda tentadas, mas não prosperaram devido a ruptura dos acordos por aquela entidade.

 

Assim, o CBRD seguiu sempre filiado à CBKC através das presidências de Sérgio de S. Q. Capps, de 1984 a 1993, Odil Carneiro Vieira Filho, de 1993 a 1998 e de Cláudio Almeida, de 1998 a 2002.

 

Em 24 de maio de 2002  foi eleita a nova diretoria do CBRD,  com um mandato a partir de 3 de junho de 2002 a 2 de junho de 2005 e assim constituída: José Aires de Morais (SP) Presidente; Anna Maria D.Dalle Rose (DF) – Vice-Presidente; Ney Kurtz (RJ) – Secretário.

 

Em 20 de Maio de 2005, em reunião realizada por ocasião da Nacional de Dobermann na cidade de Indaiatuba - SP (Hotel 4 Estações), foi eleita a nova diretoria do CBRD, com mandato até 02/06/2008 assim constituída: Presidente - José Aires de Morais; Vice Presidente - Anna Maria Dona Dalle Rose; Secretária - Samantha Christian de Morais, cuja ata encontra-se registrada na cidade do Rio de Janeiro (cartório do 6º ofício).

 

Após a “malfadada” cisão ocorrida na cinofilia em Outubro de 1991, o CBRD foi autorizado novamente pela CBKC a emitir Certidões de Origem (pedigrees) para os cães da Raça Dobermann. Em vista disso, o CBRD, em princípios de 1992 passou a ser denominado novamente Clube Brasileiro da Raça Dobermann, mas, por motivos não definidos, o CBRD não chegou a emitir pedigrees.

 

Essa situação até então "ambígua" de Clube ou Conselho, perdurou até o mês de maio de 2005, mas a raça e a instituição, alheias a situação política voltou a crescer em qualidade e quantidade vislumbrando um futuro promissor, e promoveu nessa mesma data a primeira prova de ZTP na América do Sul, julgada pelo juiz HANS WIBLIHAUSER (Alemanha).

 

Nessa mesma data a CBKC , dias antes da nacional, através da Deliberação CBKC-0022/05, numa decisão até hoje " nebulosa" para os doberistas, determinou que todos os clubes especializados da raça Dobermann deveriam ser filiados as Federações ou Clubes Ecléticos Assemelhados dos seus Estados e ainda determinou que a entidade CBRD continuaria existindo "tão somente" para elaborar as normas técnicas da raça, com o nome de Conselho Brasileiro da Raça Dobermann.

 

Em 25 de maio de 2006 através da Circular 1206/06 o Presidente da CBKC (Sr. Sérgio Meira Lopes de Castro), comunicou a todos clubes e federações que o Conselho Brasileiro da Raça Dobermann - CBRD está vinculado diretamente a Diretoria da Confederação Brasileira de Cinofilia.

 

Se por um lado, o fato do CBRD voltar a condição de um Conselho Técnico abalou alguns doberistas, inclusive motivando o pedido de demissão de membro da entidade, por outro lado o seu Presidente, Sr. José Aires de Morais entendeu como um ponto extremamente positivo, uma grande vitória, pois o órgão máximo da cinofilia (CBKC) estava reconhecendo formalmente a existência da entidade CBRD. Depois de buscas e mais buscas nos cartórios de ofício procurando resgatar a sua identidade, finalmente foi localizado no 6º Cartório de Registro de Títulos e Documentos na cidade do Rio de Janeiro - RJ o registro do estatuto (regulamento) da entidade CBRD - Conselho Brasileiro da Raça Dobermann